Saulo Valley Press

"O Observador do Mundo"

Emprego: Somos todos voluntários? Somos todos Ativistas? Quem merece um trabalho remunerado?

Deixe um comentário

A pergunta poderia ser extendida a infinitas profissões como jornalistas, fotógrafos, músicos, cinegrafistas, enfermeiros, técnicos em informática etc. O que está contecendo no mundo?

Sad Woman - Cortesia: limpa-vias.blogspot

Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 06 de Julho de 2011 – 15h09min.

Com a crise mundial a pleno vapor, sempre se renovando por fontes diferentes de combustível, o mercado como um todo, está lutando com todas as forças para não quebrar. Para isto, empresários buscam obter o maior volume de vantagens com o menor custo possível. E olha que os que têm conseguido esta façanha nem sempre ultrapassam os limites da crise que tem se expandido de ano a ano.

Com o excesso de mão-de-obra formada pelas faculdades, mas poucas que possam atender às necessidades do mercado, tem “profissionais” sobrando e as empresas têm preferido contratar um funcionário de pouca experiência e mais barato, do que um profissional especializado e caro.

Com isto, de ano pra ano novas turmas são lançadas no mercado e os recém-chegados tornam-se sérios candidatos a ocupar a vaga dos que já adquiriram um pouquinho mais de experiência profissional.

Pra piorar a situação, o mercado que visa sempre o lucro máximo tem reduzido substâncialmente o investimento em mão-de-obra, fazendo com que muita gente acabe se oferecendo para trabalhar por quase nada senão de graça em troca de alguma experiência profissional e garantir uma colocação melhor no “próximo emprego”, as vezes até para pagar uma conta de luz, de água ou uma prestação.

Trabalho Voluntário - Cortesia "CEFET_MG" no Flickr

A verdade é que este “próximo emprego” dificilmente chega e as pessoas estão andando em círculos batendo de porta em porta, trabalhando para ganhar cada vez menos com a desculpa de que se não aceitarem a baixa proposta salarial outros milhares aceitarão.

Além da questão do emprego ainda tem a questão da prestação de serviços.

Profissionais liberais, autônomos, free-lancers e trabalhadores independentes são sempre a parte fraca da corda. Cada vez que um profissional tenta apresentar um trabalho para um possível cliente, com uma qualidade “B” por um preço “C”, outros aparecem oferecendo o mesmo produto, melhor ou pior por um preço que vai de “D” a “Z”.

Ambulantes - Foto de Mônica Campi no Flickr

Para variar o mercado vai sendo disputado por estrangeiros e imigrantes ilegais. Milhares de pessoas buscando um lugar à sombra, já que o sol é (supostamente) para todos, encontra a oportunidade de trabalhar cada vez mais ganhando cada vez menos.

Empresas que não querem pagar bons salários, ao menos compatíveis com a profissão, também encontram um efeito bumerangue gerado por esta opção do mercado: Não pagam e também não encontram compradores para seus produtos porque a população em geral tem estado com baixíssimo poder de compra.

Então as empresas começam a mudar de ramo migrando para a área que estiver apresentando melhores resultados. Mas se todo mundo só pensa em cortar ou reduzir os salários de seus funcionários e prestadores de serviços a zero, quem se canditará a comprar seus produtos então?

Com a falta de oportunidade, recém formados procuram o trabalho voluntário em busca de novas experiências. Mas como o mercado não está disposto a pagar por profissionais altamente capacitados, estes voluntários estão fazendo mais “terapia ocupacional” do que construindo um futuro promissor. Só quem está ganhando é quem recebe a ajuda gratuita e não paga praticamente nada. Se seus serviços não são pagos, serão patrocinados por alguma instituição governamental ou ONG. Restando aos trabalhadores, um “muito obrigado”.

Então profissões começam a desaparecer. Músicos, Jornalistas, Fotógrafos, Cinegrafistas, Webdesigners, Publicitários, Radialistas, Locutores, entre outros acabam transformando seus sonhos profissionais em hobby. Procuram emprego em outras áreas nas horas vagas. Daqui a 10 anos como será o mercado?

Autor: Saulo Valley

Jornalista da Web, repórter, escritor, poeta, radialista, cinegrafista, fotógrafo, Videoprodutor, músico, compositor, modelador 3D, Mestre de Kung Fú e instrutor de Boxe Chinês. Os fatos mais atuais sob olhar analítico do "OBSERVADOR DO MUNDO". Acesse Saulo Valley Post in http://paper.li/f-1326286418 ou http://saulovalley.blogspot.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s