Tomado pelo ódio, o presidente Bashar Al-Assad decidiu aniquilar a população da síria. Depois de Dara, a cidade de Homs tem sido alvo de brutal massacre. Só em Rastan em três dias de ocupação, pelo menos uma centena de pessoas foram mortas pelos bombardeios aéreos, tanques e snipers posicionados nos telhados.

por outro lado os manifestantes dizem que não vão ser impedidos pelos blindados e nem pelo fogo da artilharia aérea. Em uma encenação muito bem humorada eles declararam:

“Bashar, até os mortos querem derrubar o regime”

Fonte: SNN NEWS

Mas que humorados, estão comemorando a morte de 30 crianças pelo regime de Assad desde o início das manifestações em 25 de Março. Esta comemoração acontecerá amanhã numa grande manifestação nacional entitulada “Sexta da libertação das Crianças” (Sex freedom Childrens).

Pois é, você não leu errado. No Islam quando uma pessoa morre sua partida é comemorada. Todos sentem falta dos parentes e amigos, mas mesmo assim não podem deixar de ficar felizes, já que os mortos vão para o paraíso, que é o sonho de todo muçulmano…

Mas não é por isto que os crimes de Bashar Al-Assad deixam de ser crimes. E o povo aspira por um país amplamente democrático em que todas as religiões e etinias sejam respeitadas, principalmente os direitos humanitários, humanos e civis.

18:10min A Rede Cham de notícias informou que o bairro de Rastan, em Homs continua sob intensos bombardeios de artilharia pesada nas casas, principalmente a casa do coronel Ahmed al-Sheikh. A agência acredita na morte do coronel durante os ataques.

Anúncios