>

Damasco está se preparando para formar um novo governo dentro de 24 horas. O Presidente Bashar Al-Assad está no poder desde 2000. Sob pesada pressão popular, ele buscou fazer a mesma proposta que os governos de outros países Árabes sob pressão e não tiveram sucesso: reeditar a constituição, oferecer dinheiro, melhorias, reformas… e pressionar!

Naji Al-Otari – Fonte: aknews

Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 29 de Março de 2011 – 07h54min.

O primeiro-Ministro Mohammed Naji al-Otari  prometeu deixar o cargo apresentando sua demissão hoje (terça).

No dia 01 de Fevereiro um movimento virtual ficou conhecido como “Revolução Facebook”, quando a população da Síria estava cansada de tanta opressão, corrupção e monocracia.

Além da página do Facebook que já contava com mais 9 Mil simpatizantes, por toda a internet, este movimento foi batizado oficialmente de “The Syrian Revolution 2011” e uma data em especial deveria marcar este acontecimento: O dia 04 de Fevereiro, uma sexta-feira, quando todo o país interrompe sua rotina para fazer orações.

O Wall Street Journal noticiou na segunda-feira que o primeiro Ministro deu garantias de que o país está “imune a protestos populares como os que ocorriam na Tunísia e no Egito”.

Enquanto Bashar al-Assad afirmou “conhecer as necessidades do seu povo e que os sírios estão todos unidos numa causa comum contra Israel”.

O facebook permaneceu bloqueado e os protestos, que começaram em 04 de Fevereiro, resistiram às balas de borracha, ao gás lacrimogêneo e aos jatos dágua do corpo de Bombeiros mas não silenciaram.

A AFP disse que um dos manifestantes declarou: “Estamos aqui para apoiar a espinha dorsal do país, o presidente da Síria”, enquanto a mulher disse: “Eu compartilho a provar ao mundo que estamos comprometidos com a unidade nacional.

Hoje a página da Revolução síria tem mais de 95 mil simpatizantes.


Anúncios