>

Fonte: thehindu

Em janeiro de 2011 O egito se levantou em uma poderosa manifestação popular contra a ditadura, corrupção e alto custo de vida, além de pedir a renúncia de Hosni Mubarak, presidente que se mantinha no poder por 27 anos.


Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 26 de Março de 2011 – 07h39min.

Com a renúncia de Mubarak, as populações árabes foram inspiradas pelo vírus de alta patogenia que foi se alastrando e revoltando populares contra seus respectivos governos, enquandrados nas mesmas condições do Egito.

Fonte:piperbayard

Líbia

O segundo país a seguir esta “influenza” epidêmica foi a Líbia. Mas esta “gripe” sofreu “mutação” ao ter contato com os ares da Líbia e a resposta foi completamente inversa ao tipo de virose apelidada de “Influenza Revolution”:

Massacre. Esterilização dos infectados através do fogo aéreo, munição de armas de fogo e lança-chamas, foi a prescrição adotada como antídoto pelo Coronel Muammar Kadafi há 41 anos no poder.

Enquanto a “Influenza Revolution” foi se adaptando ao expurgo, modificando seu sistema de defesa e reagindo ao fogo do líder Kadafi, outros países foram afetados pela mesma gripe egípcia, e estão agora enfrentando líderes, príncipes, presidentes e marajás, que foram contagiados pela gripe “Kadafi anti-revolution”.

Fonte:la.indymedia

Estão sendo atacados pela epidemia “Influenza Revolution” os seguintes países:

Bahrein, Síria, Yemen, China, Sudão, Sri Lanka, Oman entre outros que ainda não me lembrei. Infelizmente estes casos têm sido tantos e tão simultâneos que não dá pra dar atenção jornalística detalhada sobre os acontecimentos, mas sabe-se que uma triste realidade assola estes países que a maioria já está prestes a declarar estado de emergência:

Os governos infectados com a epidemia da gripe tipo “Kadafi Anti-revolution”:
Bahrein, Síria, Yemen, China, Sudão e Sri  Lanka.

O triste caso da Líbia, onde a situação chegou ao ponto de hospitais serem condenados ao fogo de artilharia “Anti-revolution”, para impedir a recuperação de pacientes contaminados pela “Influenza Revolution” egípcia.

Na semana passada, o governo de transição egípcio, pôs em vigor uma nova. Esta lei criminaliza todo o tipo de manifestação de infectados pelo vírus “Influenza Revolution” ou qualquer outro tipo de contágio. Greves, protestos, passeatas que interrompam o trânsito e/ou prejudiquem o funcionamento de qualquer empresa estatal.

A pena de “quarentena” vai até 1 ano e a multa de não desinfecção pode ir até meio milhão de libras.

De hoje em diante procurarei acompanhar todos estes movimentos e manter o Brasil atualizado. Desejem-me sorte.

Após amanhecer espirrando, percebi que havia contraído a gripe “Influenza Anti-genocídio”. Esta gripe eu gostaria de passar pra você! Fique por aqui. Opine, divulgue e fique por dentro!

Tags: Saulo Valley, blog, Notícias, protestos, Virose, EPIDEMIA, gripe, Influenza, Anti-revolução, massacre, EGITO, Líbia, SÍRIA, Iémen, china, Sudão, Sri Lanka, Oman

Anúncios