Saulo Valley Press

"O Observador do Mundo"

>LÍBIA: Kadafi bombardeia hospital em Misurata e Kwait e Jordania apóiam o "no-fly-zone".

Deixe um comentário

>

Fonte: latimes

Agora é que se pode ter certeza de que a democracia está no comando da operação “Odisséia do Amanhecer”!   O anúncio veio pelo primeiro-Ministro britânico James Cameron.


Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 24 de Março de 2011 – 05h10min.

Segundo ele, estas adesões fazem parte do esforço de uma cooperação extendida, principalmente aos países Árabes.

O site Árabe Dar Al-Hayat noticiou que: “O ministro jordaniano de Estado para Assuntos de Mídia e Comunicações, o porta-voz do governo Taher al-Adwan disse que Jordania não tem qualquer papel em operações militares contra a Líbia” “Ele disse que o papel da Jordânia, que permanecerá aberto em caso seja solicitado no futuro, para prestar ajuda humanitária aos civis”.

A imposição do embargo aéreo tem buscado cumprir com exatidão o decreto determinado pelo Conselho de Segurança da ONU com base na lei de 1973.

Até agora 11 países e pelo menos 150 aviões participam da operação.

Combate

A AFP informou que as forças de Kadafi bombardearam o hospital de misurata na noite de quarta. A agência disse que um comunicado feito por telefone apresentou a seguinte situação:
“A situação está péssima aqui, e muito grave em Misurata, os tanques estão bombardeando tudo!” – informou o porta-vos da rebelião local à AFP.

À cada ataque da coalisão contra tropas de militares, Kadafi atira contra os civis.

A AFP também informou que Misurata está sem água, telecomunicações e energia elétrica há uma semana, com uma população de cerca de 500 Mil.

Um site Árabe “ALEQT” informou uma série de mortes de civis nos bombardeios de ontem à noite efetuados pelas forças de coalisão.
Ele cita a “France Presse” como fonte quando conta que às 04:30 GMT um correspondente da FP citou que um estrondoso som de artilharia antiaérea se iniciou. em Trípoli na Quarta-feira.
Segundo o site, após o som da artilharia, surgiram os aviões da coalisão com um pesado bombardeio sobre  alvos militares.
Ele cita um pesado bombardeio num depósito de armas da Líbia em Tajoura, a 32 km ao Leste de Trípoli, seguido de grande incêndio. Segundo o site, o bombardeio “atingiu um bairro residencial” e deixou “um grande número de baixas entre civis”. 
O site disse que o incidente em Tajoura também foi confirmado pela agência de notícias da Líbia que citou uma fonte militar.
A fonte acrescentou que “o míssil que caiu sobre o bairro levou à queda de um grande número de civis.” 

Além desta, ainda outra cidade que teve alvos militares bombardeados, apresentou grande quantidade de morte de civis”:

“Estão bombardeando zonas civis e militares na cidade de Al Jufrah” (600 km ao sul). A agência explicou que “o bombardeio pelas forças da coalizão específica para a terceira vez que os paramédicos que estavam trabalhando para recuperar os mortos e feridos após dois ataques em um bairro residencial na área de” Tajoura.

…”Mais tarde, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Alkaaim Khalid líbio durante uma conferência de imprensa disse que os ataques também atingiram alvos de “zonas militares e civis” em Trípoli e Misurata (a leste de Tripoli) e sul de Benghazi e bela cidade, que fica 120 km a sudoeste de Trípoli.”

Fonte:nypost
“ALEQT” também informou que 17 pessoas e 5 crianças foram as vítimas após o ataque dos tanques de Kadafi e franco-atiradores contra o Hospital de Misurata e informado pela AFP.

“O ministro das Relações Exteriores da Líbia Assistente Khalid Alkaaim negou qualquer operação militar na cidade e que respeita o cessar-fogo imposto pela resolução do Conselho de Segurança. Ele disse durante uma conferência de imprensa na noite de quarta-feira, “Temos de respeitar os outros partidos… e a Aliança, o cessar-fogo.” 

Outra informação estranha veio a seguir, dizendo que a falta dágua em Misurata é fruto de “sabotagem” pelas forças de coalisão:

“As empresas confirmaram que a água e electricidade e redes de comunicação que foram danificadas em Misurata depois de “sabotagem” e invasões de coalizão, negando a ocorrência de qualquer perturbação deliberada.

 Funcionários dessas empresas durante uma conferência de imprensa disse que o pessoal técnico informaram as suas empresas que não tinham acesso à cidade para reparar as falhas por causa da “falta de segurança.” E privou a população da cidade de Misurata, com cerca de meio milhão de pessoas, da água, electricidade e comunicações, há uma semana.

As autoridades acusam a população como um corte deliberadamente esses serviços para castigar a cidade.” 

Anúncios

Autor: Saulo Valley

Jornalista da Web, repórter, escritor, poeta, radialista, cinegrafista, fotógrafo, Videoprodutor, músico, compositor, modelador 3D, Mestre de Kung Fú e instrutor de Boxe Chinês. Os fatos mais atuais sob olhar analítico do "OBSERVADOR DO MUNDO". Acesse Saulo Valley Post in http://paper.li/f-1326286418 ou http://saulovalley.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s