>

Segundo a AFP, o ministro da Economia, Comércio e Indústria do Japão Banri Kaieda, a central de Fukushima Nº1, ao nordeste da ilha, pode produzir um pequeno vazamento de radiação.


Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 11 de Março de 2011 – 16h38min.

O número onze parece ser o número da tragédia nos países de primeiro mundo.

No dia 11 de Setembro de 2001, A maior potência econômica e militar do mundo da época desabou juntamente com as torres gêmeas.

Hoje, dia 11 de Março de 2011 está sendo um dia muito difícil para a 3ª superpotência mundial, o Japão.

Segundo a AFP, o ministro da Economia, Comércio e Indústria do Japão Banri Kaieda, a central de Fukushima Nº1, ao nordeste da ilha, pode produzir um pequeno vazamento de radiação.

Segundo ele, as autoridades estão se preparando para a liberação do vapor radioativo a fim de reduzir o acúmulo da pressão em um reator.

De acordo com a empresa “Tohoku Electric Power Co” em Tokyo, a pressão aumentou no recipiente devido ao terremoto.

Para o secretário de gabinete, Yukio Edan , disse que a planta teve uma falha mecânica no sistema de refrigeração do reator, quando houve o desligamento causado pelo terremoto. A solução do governo japonês de evacuar a área de risco foi um procedimento de segurança.

Segundo afirmam as autoridades, “não houve vazamento radioativo na usina”, e as medidas a serem adotadas são para estarem preparados para o pior, disse o funcionário. “Estamos fazendo todo o possível para resolver a situação.” Foi a primeira vez que o Japão declara estado de emergência em uma usina nuclear. – AFP.

Incêndio


Enquanto isto, outra usina nuclear, desta vez em Miyagi, um incêndio de grandes proporções acontece no prédio que abriga a turbina, que segundo a direção da empresa, a turbina fica em usina separada do motor.

Até agora 16h44min, tremores acima de 6,0 continuam acontecendo na região.

Anúncios