>


Quinta-feira, 03 de Março. Um helicóptero britânico pousa numa fazenda perto de Benghasi. Desembarcam oito pessoas: Dois agentes do M16 e seis membros do SAS, cuja missão era fazer contato com os líderes anti-Kadafi.

Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 07 de Março de 2011 – 17h53min – Atualização 19h25min.

Enquanto o helicóptero ainda está pousando, este já está sendo observado pelos atentos sentinelas rebeldes. O grupo que se movimenta pela fazendo é imediatamente interceptado.

Com o país invadido por mercenários, aquele grupo só podia levantar suspeitas. Sob pressão, se viram obrigados a abrir os sacos que transportavam e dentro deles havia muitas armas, equipamentos de espionagem, dispositivos de gravação e diversos passaportes.

Imediatamente foram levados para o alojamento dos rebeldes. A parte difícil era provar que não passava de uma equipe “diplomática”. Dalí foram entregues aos líderes rebeldes que fizeram contato com os os Britânicos.

A desastrosa tentativa de contato irritou aos rebeldes, alegando que a presença de estrangeiros clandestinos no país coloca em dúvida a legitimidade do processo revolucionário e sua essência.

Os rebeldes também temem que Kadafi use esta desastrosa inserção “secreta” para invalidar os protestos populares, que exigiam o fim da ditadura, corrupção e o domínio da família Kadafi.

3 dias depois, o grupo foi devolvido para a fragata HMS Cumberland que permanece no largo da costa da líbia, informou o Guardian.

Segundo os rebeldes, o que acabou desmontando a operação que seria secreta, foi a chegada apoteótica do grupo em um helicóptero numa área completamente aberta. Segundo destacou o porta-voz dos Rebeldes em uma gravação que fora revelada numa transmissão de TV estatal na Líbia. Ainda de acordo com o porta-voz, uma investigação está em andamento.

“Isto não é maneira de se fazer contato” – disse o Líder rebelde anti-Kadafi.

Willian Hague – Ministro dos Negócios Estrangeiros diz assumir toda a responsabilidade pelo envio dos 6 militares e 2 agentes secretamente para a Líbia. Segundo ele, a prisão da equipe foi um “grande equívoco”.

De acordo com o Guardian, Hague foi pressionado quanto aos detalhes da missão e ele teria respondido que “tempo e detalhes” da missão foram “decididos pelos profissionais”, mas insistiu em afirmar que ele teve “plena responsabilidade ministerial” para a operação e confirmou que o primeiro-ministro, David Cameron, tinha sido informado previamente.

A Embaixada Britânica na Líbia está fechada temporariamente desde a semana passada.

Foto: baynews9.com

Missões secretas na Líbia

No dia 26 de Fevereiro uma missão secreta britânica havia resgatado de forma heróica e dramática 150 trabalhadores de petróleo no deserto remoto da Líbia. Esta operação, que teve  um dos helicópteros avariados no momento do resgate, acabou sendo recebida pela mídia britânica com grande louvor, será que este fato foi empolgante o suficiente para que tentassem uma segunda ação mais ousada?

Anúncios