>

Na contramão dos grandes movimentos que estartaram nos países com acentuada ditadura, o governo americano anuncia um pacote estratégico militar para a sua re-entrada no mundo com sua poderosa máquina de guerra, visando recuperar a imagem do seu poderio, bem como a preservação do famoso “estilo de vida americano”.

Por Saulo Valley – 04 de Março de 2011 – 19h06min.

No dia 08 deste mês, o Governo Americano publicou, pela primeira vez em uma década, um documento intitulado: “National Military Strategy 2011”. Este documento justifica e apresenta todo o plano dos EUA na volta de sua implacável perseguição aos vilões já conhecidos do mundo, como Qaeda, insurgentes, terroristas, etc e etc.

Eu sei que este assunto já foi bastante falado na web, mas sempre que publico algo já publicado, eventualmente tenho informações adicionais.

Da forma como os estrategistas americanos falam dá a entender que eles têm mais dinheiro que o mundo possa imaginar. Talvez aqueles 30 Bilhões retidos em bancos que estavam em nome de Kadafi, os bens bloqueados de Julian Assange e Wikileaks e Mubarak, dente outros. É claro que o petróleo africano e árabe nas mãos de governos ainda fragilizados e mal estruturados poderá tornar-se presa fácil.


Diga-se de passagem, governos que eram poderosas potências petrolíferas, agora estão um caos de instabilidade política, sem falar nas grandes estruturas de racharam ao meio, e nestas situações, como o Iraque, a Líbia, o Egito, e o Sudão, tornam-se alvos fáceis de manipulação e não oferecem perigo militar contra uma invasão silenciosa da América do Norte.

“Vamos melhorar e modernizar as forças armadas, de forma eficaz a introdução de novas técnicas e tecnologia.” “A Força Aérea, que “terá que executar todo o espectro das operações de prestação de ataque global”, um conceito que envolve o desenvolvimento de armas hipersônicas”.

“Não nos esqueçamos, a Nação continua em guerra no estrangeiro para se defender e derrotar ameaças à nossa pátria. Nossa principal prioridade é a segurança do povo americano, nosso território e nosso modo de vida”. “Vamos buscar melhorias aquisição deliberada de processos e modernização da força seletiva, com a introdução de customização eficaz de novos equipamentos e tecnologia.

EUA pretende dar continuidade ao pacote de destruição “Guerra ao Terror” e quando os Estados Unidos falam em guerra, é natural que um calafrio corra pela espinha e uma verdadeira sensação de terror caia sobre qualquer ser humano.

As vezes as pessoas podem pensar que este humilde Blogueiro esteja falando em metáforas sobre o MEDO dos Estados Unidos, mas na verdade o MEDO é do que pode acontecer a pessoas inocentes que moram nos lugares onde ele ataca. “Eu SÓ vejo gente morta”.

“Nós estaremos prontos para capturar ou matar os extremistas violentos que ameaçam os interesses americanos, os seus cidadãos, o nosso modo de vida e de nossos aliados.”

“Neste mundo multi-facetado, a contribuição dos militares para a liderança americana deve ser mais do que o poder – deve ser a nossa abordagem de exercer o poder.”

Ao mesmo tempo que o documento fala em proteger a “América e seus aliados”, Também fala em “lutar sem a ajuda deles”. A equipe de estratégia destaca que em 2025 a hiper-população do mundo provocará escassez de recursos naturais, o que despertará o mundo para um grande conflito.

A síntese da mensagem é que os Estados Unidos já está se preparando para entrar nesta guerra armada, com ou sem parceiros, porque quando chegar a data prevista para a falta de reservas de recursos no mundo será cada um por si e ninguém será amigo de ninguém.

Obviamente é desde agora é que os EUA vai começar a armazenar recursos.

  Baixe o documento na íntegra. PDF em inglês.

Anúncios