>

Photograph: Leon Neal/AFP/Getty Images

Os últimos acontecimentos no mundo, desde as revelações “apocalípticas” do Wikileaks a revolução política nos regimes Árabes, têm mostrado outra face dos Estados Unidos da América: O Silêncio.


Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 27 de Fevereiro de 2011 – 22h05min.

É no silêncio que o poderoso país norte americano enrola-se em suas presas como uma serpente e a esmaga sem que tenha chance de expelir um único gemido. É no silêncio que arranjos diplomáticos (agora longe dos cabos tradicionais) entregam seus adversários em suas mãos.

Silenciosamente e com o mínimo de esforço, Assange vai caindo nas garras da ave de rapina mais voraz que este mundo já ouviu falar.

Parece uma disputa de xadrez, cuja partida define um respeitado campeonato internacional: Silêncio.

Ben Stansall/14.02.2011/AFP

Sabe aqueles filmes que na maioria dos casos são comédia, em que o lutador mal acaba de derrubar o adversário e se vira de costas para comemorar sua prematura vitória?

Assim Assange veio se comportando nos últimos 3 meses. Acredito que a sensação de que tudo estava indo bem, e dando muito certo, era mesmo uma estratégia americana, porque não tem nada pior do que acabar de chegar no topo e ser jogado morro abaixo quando ainda se comemora.

Como já comentei, dependendo de como as coisas se desenrolassem, a história de Assange poderia ser uma daquelas de “15 minutos de fama”.

Na verdade eu concordo com a denúncia dos crimes cometidos pelos Estados Unidos. Sou completamente a favor! Mas a forma de se conseguir as provas deve ser honesta ou nossas denúncias servirão contra nós mesmos.

Ainda não consegui ter alguma informação a respeito do motivo que levou Assange a romper suas relações com o “Guardian” ou poderia ser o contrário. O site O Globo parece não ter desempenhado seu papel ativista, até porque, também já disse que as organizações Globo jamais se arriscariam tanto!

Só um cara solteiro, meio louco, meio nômade poderia ser tão agressivo. Assange viveu isto no limite, mas errou ao se relacionar com suas assistentes, coisa que eu nunca faço e errou ao atrair os holofotes para si mesmo de uma forma exagerada.

Nas minhas contas, todo o dinheiro arrecadado pelo Wikileaks e Assange juntos até agora, incluindo os direitos do filme e da autobiografia, “O Homem Mais Perigoso Do Mundo”, praticamente gastou tudo com processos e infra-estrutura em cerca de quatro meses. Sem falar dos seus bens e contas bloqueados, que quase que improvavelmente retornarão.

Ao chegar à Suécia, Assange poderá ser surpreendido com um julgamento justo e simples. Poderá ser inocentado e logo a seguir entregue nas mãos da CIA.

Mas as ações do Wikileaks não foram em vão. Se estes cabos não estivessem sido expostos, a história das revoluções Árabes teria sido MUITO diferente. Obama sabe que não estou enganado.

Foi por causa do Wikileaks que a América cruzou os braços, no conflito do Egito, da Líbia e os demais que têm se seguido.

Não posso dizer exatamente qual tem sido a participação da “X Services” (Blackwater) nestes eventos.

Outro dia eu estava pensando: Blackwater é um nome bonito. “Água preta”. O que é água preta?  Petróleo…

É Assange, agora é hora de rezar.

Anúncios