>

Coronel Hilton Cordero – Foto: vocero.com

Filha da apresentadora de TV Déborah Martorell acusa o pai, Coronel Hilton Cordero de abuso Sexual em San Juan/Porto Rico.

Por Saulo Valley – Rio de Janeiro, 05 de Fevereiro de 2011 – 05h55min.

O comissário de Polícia Hilton Cordero está sobe investigação pelo possível abuso sexual de sua própria filha. Casado com a apresentadora de TV local Deborah Martorell e pai de duas meninas.

Ontem pela manhã o Coronel Hilton foi denunciado pela escola quando a filha maior, que tem 14, queixou-se com a professora que o pai a molestava.

Apresentadora Déborah Martorell

O Serviço de Assistência Social da escola denunciou o caso para o Departamento da Família (DF) O comissário de Polícia de San Juan que teve sua arma recolhida, foi temporariamente afastado do cargo, até a conclusão das investigações. Também todas as armas da casa foram recolhidas.

À medida que a situação ia se complicando, Hilton Cordero enviou uma carta pedindo o seu afastamento, revelou o site Vocero.com.
O Prefeito Jorge Santini declarou o pedido do Coronel:

“O coronel Hilton Cordero me disse pela manhã que eu estava passando por uma situação familiar delicada que justifica a sua atenção e me pediu para liberá-lo das suas funções, até que o assunto seja resolvido. Assim, o pedido foi aceito e estamos ansiosos para o desenvolvimento e desfecho do caso”, O Prefeito Jorge também anunciou a nomeação provisória de Paulo Rodrigues ao cargo.

Foto: vocero.com

O Avô materno das crianças passou a ter a guarda delas, que haviam sido retiradas da casa onde moravam, pela Prefeitura de San Juan.

Foto: Avô materno da menina e a procuradora que registrou as queixas da menor.

Segundo a Procuradora Inés Carrau, o depoimento da criança tem consistência. De acordo com o site “Vocero.com”, as informações do testemunho serão mantidas em sigilo, mas por muita insistência da imprensa, a procuradora fez uma relevante declaração: “O depoimento da menina coincide com as denúncias feitas pela escola”.

Foto: vocero.com

Ontem (04/02) a ela esteve no Centro de Investigações de Carolina (CIC) Maiores detalhes sobre as crianças, estão sendo protegidos pela justiça. As duas são menores tem entre 4 e 14 anos. Até que a Justiça anuncie nova decisão, as menores que já estão sob a guarda  do avô materno, poderão receber vistas da mãe, mas o pai está proibido de qualquer tentativa de se aproximar.

Anúncios