>Por Saulo Valley – Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010 – 10:24

Porque os Estados Unidos não ajudam a combater definitivamente o narcotráfico no México?

CONSUMO

Desde o início da distribuição das drogas, entre 1967 e 1970 é que a população americana vem, se aproveitando do seu alto poder aquisitivo para adquirir drogas. Os americanos se revelaram e se mantiveram pelos últimos 40 anos, como os maiores consumidores de drogas do planeta!  Uma tendência que se confirmou após a liberação do uso da maconha “para fins medicinais”, e você pode comprar em qualquer maquininha de refrigerantes!

O ator Tom Cruise, que frequentemente aparece fumando maconha em seus filmes, também já foi flagrado fumando em público e teve o seu nome e sua caricatura estampados numa embalagem “medicinal” de maconha. Além dele, muitas outras personalidades demonstram-se a favor do consumo da droga.  A coisa é tão crônica que simplesmente atacar os fornecedores não vai resolver! Como o usuário nunca é atacado, então eles têm um grande problema.

LAVAGEM

Os bancos americanos são grandes responsáveis pela lavagem do dinheiro dos negócios do tráfico nos EUA.

O Departamento de Justiça americano estima de US$ 39 Bilhões de dólares anuais, seja o faturamento do crime organizado em suas terras. Esta quantia é igual aos rendimentos do Google e do Halliburton juntos!

Também revela que de 2003 a 2008 o “Wachovia Corp” lavou sozinho, pelo menos US$ 110 milhões de dólares! O Wachovia Bank admitiu “graves e sistemáticas” violações da Lei de Sigilo Bancário e concordou em pagar US $ 160 milhões para resolver o caso criminal contra eles.

O American Express Bank International e Western Union, recentemente, também concordaram em assentamentos enorme com o governo para a lavagem de rendimentos de drogas mexicanos.

ARMAS

Armas americanas recuperadas dos cartéis mexicanos.

O maior fabricante e distribuidor de armas do planeta é os EUA. O negócio é tão democrático que qualquer pessoa pode comprar armas de qualquer calibre numa loja, e nem precisa declarar! É por isto que membros dos cartéis mexicanos atravessam os EUA em busca de grandes aquisições, já que no México, só é permitida a venda de armas para militares, e ainda tem limitações quanto ao calibre.

Segundo o Bureau de Álcool, Tabaco e Armas de Fogo e Explosivos do México- ATF, cerca de 90 por cento das armas rastreadas recuperados no México originaram dos EUA. A estratégia é arregimentar pessoas sem antecedentes criminais e enviá-las aos distribuidores credenciados.

Rahm Emanuel

(Os dados foram repassados por Jacob Bronsthe do site borderlandbeat.com).
 

Segundo a publicação do TheWashingtonPost no dia 17 de Dezembro de 2010, o Departamento de Justiça havia pedido, no último verão, que a Casa Branca exigisse que as vendas de armas nas fronteiras com México, pelos milhares de distribuidores existentes, fossem relatadas a ATF, para possível rastreamento dos fontes, mas o projeto foi arquivado pelo chefe da CasaBranca de gabinete Rahm Emanuel, um veterano de batalhas com o lobby das armas durante a administração Clinton.

Graças ao Wikileaks, com a quebra da imagem puritana americana, a lama represada começa a rolar o morro, e pelo jeito, vem inundação pela frente!


Atualização 16:50

No site  americano The Huffington Post
A repórter CRISTINA SILVA fez interessante comentário em 12/29/10 06:25 PM | AP

David Schwartz, um advogado defensor da Maconha legal

“…Nevada aprovou sua lei de maconha medicinal em 2000, quatro anos após a Califórnia ter aprovado seu primeiro programa seguido por toda a nação. Ao todo, 15 estados e o Distrito de Columbia permitem agora.Os advogados dizem que a lei em Nevada é rigorosa e torna quase impossível de se fumar maconha legalmente. Os pacientes não podem comprar ou vender maconha e só podem cultivar até sete plantas para uso pessoal.O departamento de saúde de Nevada, que regulamenta a maconha medicinal, diz a pacientes que não podem fornecer informações sobre como cultivar cannabis.Durante o ano passado, pelo menos 27 lojas de maconha foram abertas em Las Vegas, de acordo com weedmaps.com, uma farmácia on-line e serviços de localização de médicos.

Os postos discreta recurso longos e menus com nomes excêntricos, como o “Incrível Hulk”, o “monstro roxo”, “queijo verde” e “crack abacaxi“.As transações são chamados de doações, não compras. Os clientes são pacientes. A maconha é a medicina. A polícia, no entanto, ainda significa problemas.Sobre as lojas, muitos diziam que são serviços de referência para os médicos, dispostos a recomendar a maconha, e foram deixados sozinhos em primeiro lugar.Depois vieram notícias de que policiais disfarçados estavam fazendo compras nos dispensários.Em setembro, foi oficial. Investigadores locais e federais com mandados de busca em várias lojas de maconha nos arredores de Las Vegas.Os policiais se recusam a discutir os ataques, dizendo que a investigação continua aberta. Eles não diriam o que motivou a repressão.A lei federal continua a classificar a maconha como uma substância controlada, proibida de ser prescrito por médicos.O procurador-geral Eric Holder disse que os promotores federais não vão buscar as pessoas que vendem maconha em conformidade com uma lei estadual, mas alertou que as pessoas que violam tanto as leis federais e estaduais serão o alvo.Nevada tem atraído muito os foliões de todo o mundo com promessas sedutoras de “pernilongos”, “gladiadores modernos” e máquinas caça-níqueis férteis.Quase um terço das receitas do Estado provêm dos impostos sobre os ganhos do cassino.Mais de uma década atrás, os defensores da maconha seduzidos pela reputação hedonista em Nevada, começaram a segmentação no Estado de prata.Até 2000, Nevada tinha uma das legislações mais rigorosas do país maconha, quando a posse de uma única articulação foi um crime punível com um ano ou mais na prisão.As primeiras campanhas para afrouxar tais punições eram fáceis.A lei de maconha medicinal, em seguida, removida por sanções penais sobre o uso, posse e cultivo de maconha por pacientes com a documentação pré-escrita de seu médico.Desde 2000, ativistas gastaram 12 milhões de dólares tentando fazer de Nevada, o primeiro estado a legalizar maconha em barras de Amesterdam,  no estilo fumantes de maconha em casinos em Las Vegas.O Washington, DC, “Marijuana Policy” Projeta vantagem de cinco tentativas fracassadas de aprovar leis pró-maconha em Nevada.“Obviamente existe jogo legalizado e, em certa medida, a prostituição também. Parece apenas que a idéia de tributar e regular maconha poderia dar trabalhado”, disse Steve Fox, diretor do grupo das campanhas estaduais.Califórnia, Arizona e Colorado, entretanto, se tornaram os queridinhos do movimento pró-maconha, com os eleitores e legisladores nos estados abraçando dispensários.Em Nevada, as agências de aplicação da lei anti-drogas ativistas e políticos na área rural de Nevada do norte têm liderado a oposição contra as medidas de cédula.O estado da indústria do casino poderoso, muito ansioso para retratar um saldo de decoro e rebelião, permaneceu em silêncio.Ativistas são esperados para tentar novamente a legalizar maconha em Nevada, em 2012, mas os políticos e lobistas, tanto a maconha prevêm uma outra perda.Las Vegas prefeito Oscar Goodman, um advogado beber martini de turismo sexual, disse que está aberto para a legalização da maconha, mas não acho que os eleitores estão indo tão cedo.

“As pessoas não estão prontas”, disse ele, “não importa como somos caracterizados.”

O mais engraçado nisto é o fato de que só os americanos precisam tanto da maconha. Porque será que no restante do mundo ninguém faz tanta questão dela? Não, porque lá a situação é generalizada! Do mendigo ao Magistério, todo mundo precisa! É realmente uma questão medicinal!

O país inteiro precisa ser de-sin-to-xi-ca-dos!

 Ainda não encontrei um caso no Brasil que um médico dissesse:

“Este paciente precisa de doses controladas de maconha, sem ela sua recuperação será impossível!”.
Anúncios