>por Saulo Valley – 05- nov. 2010 08:16

 Os sensores registraram uma sequência de tremores em lugares mais diversificados nos arredores da Austrália e indonésia, nas últimas 24 horas.

À esquerda e acima, fica a ilha de Java/Indonésia e abaixo, (pedaço de terra maior:) A Austrália.

Os quadrados amarelos mostram os tremores mais recentes da semana e os azuis, mostram os tremores de hoje, 05 de novembro de 2010.

Para entender melhor clique na imagem para ampliá-la.

Atualização em 05-11-2010 as 10:32

Tremor de terra mais recente aconteceu há poucos minutos cerca de 80 milhas das Filipinas.
O mapa acima mostra o quão instável está toda esta área delimitada pela linha vermelha.

____XXX____ 

Indonésia: Vulcão Merapi número de mortos sobe para 122.
“Muitas crianças Mortas’.

Gandang Sajarwo | November 05, 2010 atualizado às 22:28 – Brasil.

Agromulyo e Jakarta. Monte da Indonésia vulcão Merapi matou 58 pessoas e dezenas ficaram feridas quando ele irrompeu novamente nesta sexta-feira, com recordes. Muitas vítimas sofreram queimaduras severas e outras tem problemas respiratórios, disseram autoridades.

As últimas mortes elevam o número total para mais de 100 desde o mais ativo vulcão do país começou em erupção em 26 de outubro.“O número de mortos subiu para 58, incluindo sete crianças”, disse o médico Suseno Wibowo ao hospital Sarjito, em Yogyakarta, sul do vulcão em Java Central.

O porta-voz do Hospital Banu Hermawan disse anteriormente: “O processo de evacuação ainda está em curso. Estamos com medo de que haja mais mortes que algumas localidades ainda estão inacessíveis devido às cinzas quentes e ao material vulcânico “.

Muitos dos mortos eram crianças da vila Argomulyo, a 18 quilômetros da cratera, segundo funcionários de resposta de emergência e testemunhas.

“Sessenta e seis pessoas estão sendo tratados por queimaduras”, disse Hermawan Banu, um porta-voz Sarjito hospital geral de Yogyakarta, ao sul do vulcão.

“Aldeia Argomulyo foi queimada até o chão pelas nuvens de calor. Muitas crianças já morreram. Quando eu estava na aldeia, o chão ainda estava quente “. Disse à polícia de Yogyakarta,  o médico Dwi Teguh Santosa .

Um rio que atravessa a vila encheu-se de uma espessa mistura de lama e cinzas, e os vários organismos leigos não reclamados nos escombros, segundo testemunhas.

fuligem, nuvens de calor mortal e os restos de fundição jorrou da boca da montanha 2.914 metros e disparou para o céu durante a maior parte da noite e na manhã.

Houve pânico e caos nas estradas; porque as pessoas tentaram fugir no escuro. disseram os trabalhadores de resgate.
As fileiras dos desabrigados aumentaram para 100.000 pessoas, sendo que 30.000 mudou-se para um estádio esportivo, cerca de 25 km de distância do pico.
“Os abrigos de emergência estão superlotados”, relata o coordenador de resposta a emergências de campo, Widi Sutikno.

O aeroporto internacional de Yogyakarta foi fechado como as nuvens cinzas subia para a altitude de cruzeiro. Os aviões e a pista estavam cobertos de fuligem cinza, disseram autoridades.Surono, o vulcanologista do Governo disse que as explosões de hoje (sexta-feira) foram as maiores.

“Esta é a maior erupção até agora. As nuvens de calor desceram a encosta até 13 quilômetros e a explosão foi ouvida na medida de 20 quilômetros de distância “, disse ele.

A zona de exclusão foi alargado de 15-20 quilómetros em torno da montanha e os que vivem no entorno desta área condenada, foram obrigados a deixar suas casas e abrigos de imediatamente, disse.

O Ministério de Transportes da Indonésia disse aos pilotos para voarem a pelo menos 12 km de distância do vulcão, por causa dos estrondos e vários vôos ligando Java central para Singapura e Malásia foram cancelados esta semana.

O presidente Susilo Bambang Yudhoyono, visitou pessoas desabrigadas pelo vulcão na quarta-feira, e que o país se arrasta ao ter que lidar com desastres naturais duplos e em sequência, como o tsunami de Sumatra em 25 de outubro.

A onda de três metros bateu em aldeias na cadeia remota ilha Mentawai na sequência de um sismo de magnitude 7,7 ao largo da costa, matando 428 pessoas e deixando 15 mil desabrigados.

Outras 74 pessoas continuam desaparecidas, provavelmente mortas.

O mau tempo e a falta de comunicação nas ilhas subdesenvolvidas – Um destino lendário por surfistas estrangeiros – têm dificultado os esforços para levar alimentos, abrigo e remédios para as áreas afetadas.

“Nós temos que usar botes de borracha para alcançar vilas isoladas. Nós temos mesmo de nadar para trazer o barco para os recifes de coral “, um porta-voz da Cruz Vermelha Indonésia Fitriana Sidika disse na quarta-feira.

Três velejadores da Nova Zelândia que não haviam ouvido sobre o tsunami virou, mas estão salvos, disseram familiares na sexta-feira.

O arquipélago indonésio tem dezenas de vulcões ativos e ocupa grandes linhas de falhas tectônicas da Índia para o oceano Pacífico. O tsunami asiático de 2004 matou quase 170 mil pessoas só na Indonésia.

Agence France-Presse 

fonte: http://www.thejakartaglobe.com/home/update-indonesia-volcano-death-toll-soars-past-100-many-children-dead/405050

Nova Atualização:

Presidente declara “desastre nacional” depois que nuvens de cinzas saltaram do Mounte Merapi matando 58 pessoas nas últimas 24 horas.

05 de novembro (Bloomberg) – O número de mortos nas erupções do Monte Merapi em Java central, subiu para 113 após uma explosão próximo da meia-noite. Moradores foram pegos de surpresa, alertando as autoridades para estender a distância de segurança e perto do aeroporto de Yogyakarta.

A última erupção matou pelo menos um adicional de 69 pessoas e feriu 71, diz Sri Suryantini, um porta-voz do hospital Sardjito em Yogyakarta, por telefone hoje. Autoridades estendem hoje, a distância mínima de segurança do vulcão para 20 km (12 milhas) de 15 km e fechou o aeroporto Adi Sucipto desde 6 da manhã, horário de Jacarta como a cinza cobriu a pista, disseram autoridades.

“…Nesta foto liberada pela Secretaria  vice-presidencial da Indonésia , o vice-presidente indonésio Boediono, no lado superior direito com camisa branca, olha para os corpos de vítimas do tsunami provocado pelo sismo em Pagai Utara, Ilhas Mentawai, na Indonésia, quarta-feira, 27 de outubro de 2010 . Os helicópteros com suprimentos de emergência finalmente desembarcaram na  quarta-feira nas ilhas remotas da Indonésia atingida por um tsunami que matou pelo menos 272 pessoas.” Fonte: http://www.sfgate.com/cgi-bin/article.cgi?f=/n/a/2010/10/28/international/i000037D08.DTL&feed=rss.news_world

O número de mortos pode subir “, porque muitas pessoas ficaram presas na sua aldeia como a erupção que aconteceu no meio da noite,” Oka Hamid, um porta-voz da filial da Cruz Vermelha da Indonésia, Yogyakarta, disse por telefone hoje. “Estão acabando as máscaras, e precisamos de fraldas, medicamentos e lotes de alimentos prontos para comer.”

O Merapi, que significa montanha de fogo, tem lançado nuvens de cinzas quentes, por 11 dias, estendendo-se os esforços de resgate de moradores que desafiam as ordens de segurança para cuidar de seus animais encalhados na encosta da montanha. O vulcão pode liberar cinza quente por cerca de dois meses, disse Subandriyo, um funcionário do Ministério da Energia Vulcanologia e Mitigação de Desastres Geologia Center.


“Nós vamos comprar esse gado a um preço razoável”, o presidente Susilo Bambang Yudhoyono, disse numa conferência de imprensa em Jacarta, hoje, “para que as pessoas sigam as instruções do governo voltadas para a segurança.”

Uma série de erupções de nuvem de cinzas ocorreu ao longo da noite e burburinhos do Merapi poderiam ser ouvidos por um posto de observação no que diz respeito a 30 km, Surono, chefe do Centro de Vulcanologia, disse em um comunicado no site da agência.

A Indonésia está lutando para se recuperar de duas catástrofes que assolaram a nação do sudeste asiático em um dia cada um. O número de mortos de um tsunami que atingiu o Mentawai Islands ao largo da costa oeste de Sumatra 25 de outubro chegou a 427, Furqon Chavid Setianto, um funcionário da Agência Nacional de Gestão de Desastres, disse ontem.

Redação- Com a colaboração de Berni Moestafa, Suhana Agus e Utami Widya em Jacarta. Editor: Ahlstrand Greg.

Tradução: Saulo Valley

Fonte: http://www.sfgate.com/cgi-bin/article.cgi?f=/g/a/2010/11/05/bloomberg1376-LBDVD96JIJUS01-51T5GMB43EQ6H9HG4J2G6JG0AR.DTL

Anúncios