>

OS VALORES: Olhe ao redor e veja que nada é como era antes. É um sinal de evolução. A cultura, a tecnologia e a comunicação são um grande “boom” na atualidade! Note que com o avanço, e os excelentes resultados alcançados pelos militantes dos Direitos Humanos, conseguimos proteger muitas classes desfavorecidas em nossa sociedade!


 OBS: ISTO NÃO É UMA DENÚNCIA, É UMA ANÁLISE DE NÓS MESMOS. 
OS EXEMPLOS QUE SERÃO CITADOS NÃO REPRESENTAM 100% DAS PESSOAS, MAS UM QUANTIDADE IMPRESSIONANTE QUE É FÁCIL DE SER VERIFICADA AO SEU REDOR.


As Crianças por exemplo, não apanham mais (Não que seja a favor de espancamento de crianças). Eu era escurraçado! Era obrigado a escolher entre os estudos e o trabalho. Nunca soube o verdadeiro valor, nem a necessidade dos estudos, porque sempre meu pai dizia: “Pra que você quer estudar e trabalhar? (era aprendiz de eletricista, serralheiro e operador de máquinas de dobra numa grande gráfica – em épocas diferentes) Ou você trabalha ou estuda! Fazendo os dois você ganha uma mixaria! Larga os estudos e vai trabalhar!” Eu adorava estudar, mas não conhecia a verdadeira necessidade dos estudos, como hoje entendo. Em cada empresa que eu era aprendiz, trabalhava meio-expediente e ganhava meio salário. Na época, terminar o segundo grau era o máximo!

As surras eram torturas dígnas de campos de concentração. Apanhava até cair. Continuava a apanhar depois de caído. Socos,chutes, pauladas, chibatadas de galhos de árvores, fios elétricos… etc.  Para os castigos mais “leves” a PALMATÓRIA”! (Uma espécie de raquete toda em madeira bruta, com furos no meio, que criavam hematomas nas palmas das mãos do que apanhava com ela. Havia um modelo que era incrementado com pregos) Depois vinha o banho de sal, numa bacia de alumínio (que se usava para tomar banho, na época). Passei anos em cárcere privado. Sem ver a rua, sem ver o sol nascer (sob a desculpa de que era pra eu não me misturar com as pessoas ruins que moravam na vizinhança). O mais engraçado é que aos 16 anos, meu pai se mudou e me deixou na rua. E nunca mais voltou pra me buscar!

Hoje em dia, as crianças batem na face dos pais e eles sorriem. Entram nos transportes coletivos com as mochilas nas costas. Ocupam o lugar de duas pessoas em pé. Não cedem o lugar para os idosos, gestantes e deficientes. Não pedem “por favor” nem dizem “muito obrigado“. Empurram, pisam, chingam. Humilham os adultos por onde passam. Ameaçam os pais e dão ordens a eles. Vivem vidas duplas e na rua, são uns monstros! Tornam-se delinquentes aos nove, e na adolescência matam, tornam-se bandidos, incendeiam moradores de rua…quando presos tem um monte de regalias…

Professores e pais comentam que tem se repetido casos em que um adulto vai corrigí-los, muitos dizem em alto e bom som: EU CONHEÇO MUITO BEM O “ECA”! (Estatuto da Criança e do Adolescente) em tom ameaçador.

As mulheres eram escravas. Na china eram objetos de comércio até pouco anos atrás. Eram, surradas, humilhadas, enganadas e escravizadas, pelos seus senhores (homens).

Hoje em dia surgem comunidades de proteção de direitos da mulher, que estão indo de um extremo ao outro! Conheço mulheres que não sabem fazer trabalhos domésticos algum (ou se negam). Nem mesmo cozinhar. Não tem profissão. Não estudam. Dizem:

“Homem pra mim, tem que ter dinheiro. Tem que ser trabalhador. Tem que ser sujeito homem, pagar as contas, me bancar, cuidar das crianças. Levar pra escola, saber fazer comida. Levar a gente pra viajar nos fim de semanas. Me dar um salário fixo por mês! Menos de mil reais não aceito! Quem gosta de sexo é homosexual, eu gosto é de dinheiro! Homem sem carro pra mim não presta!”

Não são frases ouvidas de meia-dúzia de mulheres. São ouvidas de uma grande maioria! Novas organizações de direitos estão inserindo as mulheres em todos os mercados de trabalhos possíveis, onde os homens sobreviviam, pela força e a capacidade que possuem para serviços pesados. A busca pela igualdade dos direitos já foi abandonada há muito tempo! Estamos indo para o âmbito da desigualdade! Muitas querem ganhar sozinhas! Tirar proveito de todas as facilidades que as novas leis garantem. No final, o homem morre de tanto trabalhar, adoece mais rápido, por causa da sobrecarga e a pressão psicológica que sofrera a vida inteira, ao lado de sua mulher. Elas brigam pela herança, pensão e outros rendimentos. Ficam com tudo e arranjam novos maridos. O siclo se repete. Sem contar que em certos lugares do Brasil, há pelo menos 12 mulheres para cada homem!


Os Homens, por sua vez, cada vez mais desempregados e oprimidos pela necessidade de ser bem-sucedidos, se inscrevem pras polícias locais, pra tentar conquistar um novo espaço. Cada dia se multiplicam mais, a quantidade de homens que são ou foram policiais. O histórico se repete de uma forma a se tornar uma cultura. Nos bairros do rio, ex-policiais, mandam mais que subprefeitos. A maioria acaba criando ou se envolvendo em milícias (se especializando em extermínio). A maioria dos milicianos, depois que adquirem grande respeito, se iniciam na política e se tornam homens de total poder! Vão crescendo de grau em grau até ficarem lado-a-lado com o presidente da república! Abaixo deles, uma gigantesca organização ESPECIALIZADA EM TODA SORTE DE CRIME!

Os Políticos, hoje em dia, são estes homens; ou aqueles senhores de engenho que se ocultaram por trás da máscara de defensor do povo até que alcançaram total proteção do Estado! Hoje dominam o Senado, as Cãmaras, os veículos de comunicação, os principais centros de cultura e entretenimento, o agro-negócio, as importações e exportações e as indústrias.

São eles quem criam as leis que devem favorecer o povo. Mas como vão votar melhores salários, se eles mesmos é que terão que pagar a conta, no fim do mês? Você já viu um candidato que não tem empresa? E se conhece algum, acha que ele tem chances? Se estiver sozinho, DUVIDO.

Cada vez mais sem oportunidades, o povo vai se cansando de ser explorado. Sonha ser rico e poderoso! Então ele tem uma incrível idéia! Vai entrar pra polícia, ter uma casa monumental e um carro importado, igual ao do vizinho… Entrar pra milícia e ganhar respeito do bairro. Se candidatar e criar leis que possam beneficiá-lo e protegê-lo com toda sua riqueza!

A religião acabou de perder o respeito e o significado, por completo. Não serve mais como referência de conduta e fé. A justiça não favorece mais os injustiçados e não defendem o oprimido. Hoje em dia, os DIREITOS são IGUAIS para o bem e para o mal. E se continuarmos sem uma referência de comportamento, vamos nos destruir na velocidade da luz! Não haverá recurso natural que nos sustente, nem dinheiro que seja suficiente. Não haverá paz, nem amor. Nem saúde, nem vida. Não haverão homens, mulheres ou crianças.

Cada um de nós tem quue saber o seu lugar na sociedade. Caso contrário, estamos perdidos!

Voltamos para a china, no século 12 e vemos exatamento a mesma história. O que mudou? As roupas, os prédios, o nome do dinheiro e o raio de alcançe desta chamada “evolução dos direitos humanos“.

Anúncios